Leia outros artigos meus aqui: www.fotocultura.net/index.php/artigos-e-dicas 

Trabalho, pandemia e opressão (Diário da quarentena - 3)

Nesta pequena nota reflito sobre o trabalho, o lugar do humano, a persistência da opressão e o poder da arte. Esta é uma nota, não chega a ser um artigo, não faço uma investigação nem pretendo uma conclusão. Escrever me ajuda a pôr o caos em ordem, e se puder colocar alguma dúvida em sua cabeça, já fico satisfeito. 


(montagem a partir de fotos do livro Trabalhadores)

Leia mais:Trabalho, pandemia e opressão (Diário da quarentena - 3)

E alguns que morrem merecem viver. Você pode dar-lhes a vida? (Diário da quarentena - 1)

27/03/2020

eb1c8a3f 80e2 4edf be1c 640a76cf0465

Nestes dias estão acontecendo tantas coisas sérias, pandemia, falas estapafúrdias de autoridades, crise, e existe uma grande tensão no ar, temos medo, preocupação, e parece que precisamos decidir, julgar. Algumas pessoas correm para o mercado para fazer estoque de alimentos, pré-vivendo tempos piores. Acho que se preocupar com o futuro e agir antecipadamente é normal e útil, mas será que devemos agir assim sempre? Será que sempre nos cabe esse peso de julgar?

Leia mais:E alguns que morrem merecem viver. Você pode dar-lhes a vida? (Diário da quarentena - 1)

As vezes me sinto entre vocês e o precipício! (Diário da quarentena - 2)

09/04/2020

Sabe aquela sensação de ser a única coisa entre as pessoas e o abismo? Você quer alertar todos sobre o perigo, mas não consegue, pois está muito ocupado segurando os que estão quase caindo, você quer gritar, mas o som não sai da sua boca, porque todo seu esforço concentra-se nos braços.

IMG 4131

Leia mais:As vezes me sinto entre vocês e o precipício! (Diário da quarentena - 2)

Alfajor no Lexicon Tetraglotton Dictionary de 1660

Quando digo que o ALFAJOR tem muita história, não estou exagerando. Nesse dicionário inglês-francês-italiano-espanhol, de 1660, publicado em Londres, alfajor aparece como o que nas outras línguas é o pão-se-pimenta. Isso não quer dizer que realmente sejam o mesmo alimento, mas mostra que o termo ALFAJOR já era conhecido até mesmo na Inglaterra no século XVII, provavelmente por ser alimento comum para os navegadores. 

 

Leia mais:Alfajor no Lexicon Tetraglotton Dictionary de 1660

História do alfajor

Parte 1: Introdução

Afinal, que doce é esse? O alfajor além de delicioso (em todas as versões) é um doce que agrada a um historiador como eu, pois tem séculos de história, interligada aos grandes movimentos da trajetória humana. Surgiu da ocupação muçulmana na península ibérica, foi para a América com as grandes navegações, se espalhou pelo continente com as guerras e o comércio, e em cada região adquiriu características que refletem a cultura local. 

Aos poucos vou contando a história desse doce delicioso, curiosidades, variações de receita nas diferentes regiões, etc. O alfajor é um doce muito popular no Uruguai e na Argentina, muito presente também no Paraguai, Chile, Perú e Brasil, além da Espanha, país de origem.

Leia mais:História do alfajor

Sub-categorias

  • Artigos sobre fotografia

     

  • Textos e projetos antigos

     

  • 365 Agradecimentos / 365 Grateful

    Projeto #365agradecimentos dia 18

    O agradecimento é a melhor forma de conexão com o lado bom da vida. Agradecer não é só somente ser grato pelo que aconteceu, mas uma forma de admiração pelo mundo. Mas como despertar o poder do agradecimento, do reconhecimento da Graça, como ver algo bom para agradecer todos os dias? Agradecer é um exercício, precisamos aprender a ver o que temos de bom em cada dia! Acredito que dar esse valor à vida, ao cotidiano, é uma poderosa fonte de cosias boas! 

    Com o objetivo de exercitar o poder da gratidão desenvolvi dois projetos, um pessoal, com fotos diárias em sinal de agradecimento, e um coletivo, que pretendeu envolver um grande número de pessoas. 

    "Então, se, inicialmente, alguns de nossos agradecimentos possam sair forçados, a contra-gosto, mesmo assim, a Prática de Gratidão vai operar os seus milagres. Agradecendo, começamos a perceber mais e mais coisas a agradecer. Agradecendo, o coração se abre. Agradecendo, começamos a perceber o quanto temos para agradecer. Começamos a descobrir que até as situações difíceis têm um lado positivo a ser agradecido." (Monja Isshin)

    O sentido dos projetos é valorizar nosso cotidiano, mostrar como a arte, o prazer de viver, as amizades, Deus, enfim, as coisas boas, estão presentes todo dia em nossas vidas!

    Veja abaixo como é cada um desses projetos:

  • Diários da quarentena

    Nota, pensamentos e reflexões escritos durante a fase de isolamento da pandemia do covid-19.

  • História do Alfajor
  • Artigos sobre fotografia contemplativa

    Miksang em SPSe preocupar menos com as angústias do dia-a-dia, parar e observar a realidade, e se encantar com o cotidiano, com o comum. Isso é a Fotografia Contemplativa!

    A Fotografia Contemplativa, (também chamada de Miksang e Mindfulphoto) pode ser entendida como um estado mental aberto, curioso, sem julgamento, concentrado em apenas ver. Antes de uma técnica de fotografia é uma forma de ver o mundo e de viver. É a experiência visual direta, não conceitual, ou seja, a pura percepção. É uma prática ligada à meditação que, buscando ver a realidade sem pré-conceitos, fórmulas, definições, ansiedades, objetivos, apenas ver, visa trazer nossa visão para o presente, para o dia-a-dia, para o real, abrindo nossos olhos e permitindo ver o “novo” no cotidiano, ver beleza e criar arte.

    A Fotografia Contemplativa é, acima de tudo, ter a percepção aberta, sair do automático, e apreciar o mundo. Esta prática se origina em ensinamentos budistas e de meditação, mas não é uma prática religiosa, apenas uma nova forma de ver o mundo.

    A proposta é trazer a arte para a vida cotidiana, e a vida cotidiana para a arte, entendendo que as boas imagens não estão no raro e no inusitado, ou no diferente, mas em tudo. Mas nossos olhos da razão (olhar conceitual) não enxergam isso. Os do coração, da percepção, dos sentidos, estes sim enxergam! 

    (Texto: Yuri Bittar, 2015)

    [ENGLISH] The Contemplative Photography, or Miksang, or Mindfulphoto, before a photography technique is a way of seeing the world and to live. It aims to search for a new look for our day-by-day. The proposal is to bring art to everyday life, and everyday life to art! The good pictures are not in the rare and unusual, or in the different, but in everything. What needs to be different, unique, creative, is the eye of the photographer. But our reason eyes do not see that. The perception of heart, the of the senses, yes! No are here social criticism, but only images that cause us something, or arise because something affected us. Life is a sequence of moments and i try to capture some pieces of life, images that hopefully speak for themselves.

    ENTENDA MELHOR NOS ARTIGOS ABAIXO: