Plantillas Joomla by InMotion

Leia outros artigos meus aqui: www.fotocultura.net/index.php/artigos-e-dicas 

Luz, a matéria prima (Fotografia Contemplativa)

Categoria: Artigos sobre fotografia
Publicado: Terça, 06 Janeiro 2015

Para o fotógrafo, um novo dia sempre traz novas luzes

A matéria prima de nossa arte é a luz, por isso devemos nos encantar com ela. Para o fotógrafo, um novo dia sempre traz novas luzes... e assim novas e infinitas possibilidades de imagens surgem.

Sei que o sol nascendo é cliché, mas sempre gosto de ver como a luz começa a cada dia. Se puder ver cada dia como algo novo, então você se encantará com o cotidiano, e todos seus dias serão como um belo sábado ou domingo de passeio. 

Uma forma de desestressar, de fugir de um cotidiano massacrante, é encontrar a beleza no comum. Quando buscamos beleza apenas no raro, essa beleza se torna cada vez mais distante de nós. A riqueza da luz é infinita, e a cada dia e a cada hora cada objeto recebe uma luz diferente, e muda de aspecto. Quanto mais pudermos perceber disso, mais beleza e boas imagens veremos, e tornaremos nossa vida mais iluminada. 

Isso é Fotografia Contemplativa

A fotografia em Preto e Branco (PB, ou monocromática)

Categoria: Artigos sobre fotografia
Publicado: Terça, 06 Maio 2014

Pensando no avanço da fotografia na era digital, me faço duas perguntas; 

A. Porque ainda se usa fotografia em preto-e-branco?

B. Porque a fotografia em Preto-e-branco ainda é usada em casamentos e outros eventos, em fotografia artística, amadora e profissional?

 

Lú e os Pontos de Luz
Lú e os pontos de luz - Retrato de 1997

 

 Vou procurar então responder estas questões. Esta é apenas uma exploração básica sobre o tema, para uma reflexão mais profunda cabem uma pesquisa melhor.

Leia mais:A fotografia em Preto e Branco (PB, ou monocromática)

Fotografia Contemplativa (I) - O que é?

Categoria: Artigos sobre fotografia
Publicado: Sexta, 02 Maio 2014

A Fotografia Contemplativa é uma técnica fotográfica de origem oriental, ligada à meditação e budismo, que coloca a fotografia presente em seu dia-a-dia e busca mostrar a riqueza e beleza do cotidiano, normalmente ocultos pela visão conceitual, bem como nos reconectar à nossa própria percepção. A ideia é ter "o bom olho", ou seja, ver com clareza e frescor, clicar com o coração, notar os milagres do dia-a-dia que normalmente passam despercebidos. Enfim, fotografar com esse estilo é ter o olho mais atento que o normal, e bem afinado com o coração! É um conceito de fotografia muito diferente, onde o importante é o fazer, e não o resultado, e sendo ligado à meditação é também uma reflexão de si mesmo.

Como uma prática ligada à meditação visa trazer nossa visão para o presente, abrindo nossos olhos e permitindo ver o “novo” no cotidiano. Antes de uma técnica fotográfica é uma forma de ver o mundo e de viver. Essa prática e tem causado forte impacto na minha forma de ver o mundo e até de viver. Por isso pretendo neste artigo compartilhar um pouco dessa experiência. 

Amarrações
João Pessoa PB, 2012

Leia mais:Fotografia Contemplativa (I) - O que é?

No Chão da Cidade, Descartáveis e Descartados

Categoria: Textos e projetos antigos
Publicado: Quinta, 15 Maio 2014

Canabrasil

Tudo começou em 2007 com o documentário No Chão da Cidade – Descartáveis e Descartados. O projeto de produção de um curta-metragem fez parte da disciplina História e Fontes Visuais do curso de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP), ministrada pela Profª.Drª. Zilda Marcia Gricoli Iokoi, no 1º semestre de 2007. Após as filmagens continuei indo ao centro e realizando fotos sobre o mesmo tema, as pessoas da cidade, o chão, a miséria, a fragmentação. Portanto desse projeto surgiu, além do filme, uma série de fotos, uma exposição, e a criação de um curso, A Fotografia e a Cultura Visual, que levou ao projeto Fotocultura. Veja abaixo as fotos da exposição, e ao final o filme.

Leia mais:No Chão da Cidade, Descartáveis e Descartados

O Estilo Kadiweu (Kadweu, Kaduveu)

Categoria: Textos e projetos antigos
Publicado: Terça, 06 Maio 2014

2000 - Trabalho de Graduação Interdisciplinar Mackenzie: 

>>>Acesse e leia completo em PDF

Apresentado á FACULDADE DE COMUNICAÇÃO E ARTES da UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE para a obtenção do Título de BACHAREL em DESENHO INDUSTRIAL – HABILITAÇÃO EM PROJETO DE PRODUTO, sob a orientação da Sra. Professora Mestre Regina Lara.

“A arte Kadiwéu contém diversos conceitos que podem ser de grande valia para o design. "O Estilo Kadiwéu" (ou Caduveo/ Cadiuéu/ Cadiguebo/ Kadiuéo/ Kadiuéu/ Kaduveo/ Kaduveu) tem na arte um sistema de valores sociais completamente diferentes dos nossos, aspectos geométricos altamente desenvolvidos e conceitos totalmente originais, como o que chamo de "diagonais simétricas invertidas", assim como seu trabalho com cores mas, acima de tudo, o valor intrínseco de cada desenho. Mais que arte, seus desenhos são a expressão de seus valores.”

Bibliografia (versão comentada)

1.Boccara, Ernesto Giovanni. Uma Análise Semiótica do Design. 1ª edição. São Paulo, editado no Mackenzie pelo autor, 1980.

2.Braga, Marcos da Costa. Construção e Trajetórias do Campo Profissional do Design Moderno no Brasil, trecho de Estudos em Design de agosto de 1996. Rio de Janeiro 1996.

3.Cipiniuk, Alberto. Algumas Considerações Sobre os Métodos de Estudos dos Artefatos Artísticos Brasileiros e sua Implantação na Sociedade Industrial, trecho de Estudos em Design de agosto de 1996. Rio de Janeiro 1996.

4.Couto, Rita Maria de Souza. Pequena Digressão Sobre a Natureza do Design, trecho de Estudos em Design de dezembro de 1996. Rio de Janeiro 1996.

5.Cunha, Manuela Carneiro da (organizadora). História dos Índios no Brasil. São Paulo, Cia. Das Letras, 1992.

6.Dondis, Donis A.. Sintaxe da Linguagem Visual. São Paulo, Martins Fontes, 1991

7.Heskett, John. Desenho Industrial. Rio de Janeiro, José Olímpio Editora, 1997

8.Lévi – Strauss. Tristes Trópicos. São Paulo, Editora Anhembi, 1957.

9.Mahieu, Jacques de. Os Vikings no Brasil. Rio de Janeiro, Livraria Francisco Alvez Editora, 1976.  

10.Moraes, Dijon de. Limites do Design. São Paulo, Studio Nobel, 1997

11.Munari, Bruno. Das Coisas Nascem as Coisas. São Paulo, Martins Fontes, 1998 

12.Ribeiro, Darcy. Kadiwéu, Ensaios etnológicos sobre o saber, o azar e a beleza. Petrópolis, Vozes, 1980.

13.Romeiro Filho, Eduardo. O Papel do Design Brasileiro em uma Economia Globalizada, trecho de Estudos em Design de dezembro de 1996. Rio de Janeiro 1996.

14.Santos, Yolanda Lhulier dos. O Índio Brasileiro, Esse Desconhecido. São     Paulo, EBRAPESP, 1979.

15.Santos, Yolanda Lhulier dos. Ritos do Índio Brasileiro Xinguano e Kadiwéu. São Paulo, EBRAPESP, 1975.

16.______________Revista Arquitetura e Urbanismo, Nº 80 de outubro/ novembro de 1998. São Paulo, Editora Pini, 1998.

 

Sub-categorias

  • Artigos sobre fotografia

     

  • Textos e projetos antigos

     

  • 365 Agradecimentos / 365 Grateful

    Projeto #365agradecimentos dia 18

    O agradecimento é a melhor forma de conexão com o lado bom da vida. Agradecer não é só somente ser grato pelo que aconteceu, mas uma forma de admiração pelo mundo. Mas como despertar o poder do agradecimento, do reconhecimento da Graça, como ver algo bom para agradecer todos os dias? Agradecer é um exercício, precisamos aprender a ver o que temos de bom em cada dia! Acredito que dar esse valor à vida, ao cotidiano, é uma poderosa fonte de cosias boas! 

    Com o objetivo de exercitar o poder da gratidão desenvolvi dois projetos, um pessoal, com fotos diárias em sinal de agradecimento, e um coletivo, que pretendeu envolver um grande número de pessoas. 

    "Então, se, inicialmente, alguns de nossos agradecimentos possam sair forçados, a contra-gosto, mesmo assim, a Prática de Gratidão vai operar os seus milagres. Agradecendo, começamos a perceber mais e mais coisas a agradecer. Agradecendo, o coração se abre. Agradecendo, começamos a perceber o quanto temos para agradecer. Começamos a descobrir que até as situações difíceis têm um lado positivo a ser agradecido." (Monja Isshin)

    O sentido dos projetos é valorizar nosso cotidiano, mostrar como a arte, o prazer de viver, as amizades, Deus, enfim, as coisas boas, estão presentes todo dia em nossas vidas!

    Veja abaixo como é cada um desses projetos:

Busca